quarta-feira, 27 de dezembro de 2017


Nesta época do ano os sentimentos de otimismo e pessimismo oscilam quanto às expectativas futuras. O primeiro, pelo menos intuitivamente, ainda
sobrepõe ao segundo. Na maior parte dos casos, é possível perceber indivíduos tomados por um positivismo que os faz acreditar em dias melhores,
onde as dificuldades serão vencidas e os obstáculos transpostos. Milhares de pessoas estão convictas de que o futuro será melhor do que o passado
recente.
Geralmente, esta euforia efêmera tem fôlego apenas para os primeiros dias do novo ano. As festividades acabam e os compromissos corriqueiros
retomam os seus lugares nas agendas e tudo volta à rotina. O rei Salomão escreveu sobre esta mesmice que rege a sociedade: “O que foi é o que há de
ser; e o que se fez, isso se tornará a fazer; nada há, pois, novo debaixo do sol.” Ec 1.9.
Sem garantias de que o novo ano será menos ou mais tranquilo e ciente de que existe uma tendência natural de se repedir os mesmos erros, como
mudar a realidade para melhor em 2018? A primeira atitude é priorizar o relacionamento com Deus. Separe um tempo diário para meditação na Palavra
e oração, frequente os trabalhos da igreja que vão promover a sua edificação, se envolva com uma célula para aumentar a sua comunhão e leia bons livros
evangélicos que podem solidificar a sua fé.
Mude os seus hábitos, priorize Deus e todas as coisas que envolvem o Seu reino, conforme ensinou Jesus: “Buscai, antes de tudo, o seu reino, e
estas coisas vos serão acrescentadas.” (Lc 12.31). Isso acontece quando há disposição para desapegar-se daquilo que ameaça a centralidade do Senhor
na vida dos seus filhos. O próprio Jesus ensinou que o alvo para o próximo ano e toda a vida é: “Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de
toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força.”
Se você quer melhorar a sua vida em 2018, intensifique a intimidade com Aquele que está com você em todo tempo, orientando e apascentando o
seu coração. Certamente, Ele direcionará seus passos diante das novas situações que estão por vir Experimente a companhia dele em todo momento e

usufrua do privilégio de ser conduzido pela sua soberana vontade que é boa, perfeita e agradável.


terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Natal é prostrar-se diante da ação misteriosa e inescrutável da trindade. Natal é prostrar-se diante do mistério da encarnação do próprio Deus, Natal é adorar o Deus Triúnopelo sublime plano da Salvação que vem da Cruz, Natal é adorar o Rei dos reis e Senhor dos senhores, diante do qual todo o joelho se dobrará. Mais do que um feliz Natal desejo um Natal cheio de adoração ao Deus Triúno

NATAL

Lembremos a todos os povos que Deus deu ao mundo o melhor presente, o seu Filho Unigênito, Jesus Cristo, que nasceu numa manjedoura, para nossa salvação, morreu numa cruz para nossa redenção, ao terceiro dia ressuscitou, para nossa justificação e em breve arrebatará a igreja para nossa glorificação.

BÍBLIA

DIA  DA BIBLIA
no 2º domingo, de dezembro, é comemorado o dia da Bíblia. Esta data é uma excelente ocasião para avaliarmos qual a importância que damos a Palavra de Deus em nossas vidas, qual a influência que permitimos que ela exerça no nosso dia a dia, em nosso comportamento e em nossas decisões. Alguns lidam com a Bíblia como lidam com um amuleto de sorte, a deixam aberta em um texto que profere bênçãos, normalmente o Salmo 91 e com esta atitude esperam que todas aquelas palavras se cumpram de forma mágica em suas vidas. Precisamos entender que a benção está em praticar a Palavra (Mt. 7.24-25) e não usá-la como um amuleto da sorte ou mesmo recitar seus textos como palavras mágicas, sem nenhuma intenção de colocar imediatamente em prática o que contém em suas páginas. Os praticantes desta Palavra irão usufruir de suas bênçãos e estarão sempre de pé, mesmo em tempos de crise, estes são como casas firmadas na rocha. O convite é para sermos praticantes e não apenas ouvintes. “Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando o, será feliz naquilo que fizer”. (Tiago 1:25) Outros usam a Palavra de Deus como instrumento de consulta instantânea, buscando respostas bem objetivas, um sim ou um não, para alguma decisão urgente que precisam tomar. Assim, sem nenhuma preocupação com o contexto, abrem as Escrituras, apontam o dedo aleatoriamente para algum versículo e tomam aquele texto como uma resposta de Deus para a questão proposta. Sobre isto precisamos lembrar que as maiores heresias foram tiradas da própria Bíblia, usando textos isolados, extraídos violentamente do seu contexto. O contato diário com a Bíblia como um todo, a intimidade adquirida ao longo do tempo com esta santa Palavra, sem dúvida nenhuma, irá nos orientar em todas as questões da vida, mas ela não pode ser lida como o horóscopo do dia. “Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho”. (Salmos 119:105). “Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti”. (Salmos 119.11) Imagino que nunca tivemos tanto acesso a Bíblia e ao mesmo tempo ela nunca foi tão esquecida. Existem Bíblias na internet, nos celulares, em áudio, em diversas versões, Bíblia do Bebê, da Mulher, do Homem, mas apesar de todas estas facilidades, especialmente em um país livre como o nosso, não damos a devida importância a esta poderosa Palavra, não separamos um tempo tranquilo para ler, meditar, aprender, ouvir Deus falar. Certamente este é um dos principais motivos de muitas derrotas pessoais e ao mesmo tempo da baixa qualidade de crentes que vemos hoje por todos os lados em nossa nação. “Meu povo foi destruído por falta  de conhecimento” Oséias 4:6a) Que possamos aproveitar muito bem este dia em que é comemorado o dia da Bíblia, para voltarmos a ela com paixão e ardor, deixar que sua poderosa mensagem influencie todas as áreas das nossas vidas e nos dispor a pratica-la imediatamente a cada direção que Deus nos der através desta Santa Palavra. Algumas coisas só são geradas em nós através da busca sincera pela Palavra de Deus, não há atalhos para isto. A Palavra gera fé: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”. (Romanos 10.17). Gera vida: “as palavras que eu vos disse são espírito e vida”. (João 6:63b). Nos santifica: “Santifica-os na tua
verdade; a tua palavra é a verdade”. (João 17.17). Ela é eterna: “Mas a palavra do Senhor permanece para sempre”. (1 Pedro 1:25). Leia esta Palavra, medite nela de dia e de noite, pratique em todo o tempo, você não irá se arrepender. “Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam”. (Lucas 11.28)




quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Apresentemo-nos diante dele com ações de graças, e celebremo-lo com salmos de louvor. Porque o Senhor é Deus grande, e Rei grande acima de todos os deuses.
 Salmo 95:2-3
há muitos motivos para agradecer a Deus. Ele é tão bondoso, tão misericordioso para conosco. E nos abençoa. E supre as nossas necessidades. E nos protege. E nos guarda, a nós e aos nossos. E encaminha a solução dos problemas antes que os percebamos. E ouve as nossas súplicas. E se compadece de nós. E não olha para a nossa imperfeição. E suas bênçãos, felizmente, nem são proporcionais ao nosso merecimento. Antes, excedem e vão além do que ousaríamos pedir ou esperar.
Por isso, seja o nosso primeiro motivo de gratidão o seu amor, o seu imenso amor para conosco.
Agradeçamos a Deus com alegria, pela segurança de que Ele é o nosso refúgio e fortaleza. O Senhor, que tudo criou, está perto, está próximo, está presente, ao alcance dos seus filhos e filhas. E é por nós. Louvemos ao Senhor, neste e em todos os dias de nossa vida, porque O Senhor é bom e a sua misericórdia dura para sempre.”
Que este Dia Nacional de Ação de Graças seja para nós um dia para reconhecermos as bênçãos de Deus e para agradecermos a Ele por todas essas bênçãos.
“Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”. (1 Tessalonicenses 5:18)


terça-feira, 24 de outubro de 2017

A Reforma Protestante e o Cristianismo Atual



Quando, em 31 de outubro de 1517, o monge Martinho Lutero afixou as 95 teses na porta da Catedral de Wittenberg, na Alemanha, dando início ao movimento que viria a ser conhecido como Reforma Protestante, muito provavelmente ele não fazia ideia de onde tudo aquilo chegaria.
Sua intenção mais sincera era restaurar a igreja e mantê-la Una, Santa, Católica e Apostólica. Obviamente ele não imaginava que aquele ato, de alguma maneira, seria a causa da formação da espiritualidade ocidental.
Contudo, Lutero não foi o primeiro a levantar a bandeira da necessidade de reformar a igreja. Precursores como John Wycliffe, na Inglaterra, e John Hus, conhecido como o reformador da Boemia, pagaram o preço de perseguição e martírio (no caso de Hus) por se insurgir em prol da sã doutrina.
Na realidade, embora as teses de Lutero tenham sido um marco inicial para a restauração da sã doutrina bíblica, muito ainda deveria ser feito.
O movimento reformista formulou, a partir dos textos bíblicos, alguns pontos-chave, que seriam norteadores da fé. Vejamos a profunda simplicidade dessas propostas.
– A salvação pela Graça
(Efésios 2.8)
– A justificação mediante a fé
(Romanos 1.17)
– A centralidade de Cristo
(João 14.6)
– A autoridade das Escrituras
(2 Timóteo 3.16)
– Somente Deus merece a glória (Romanos 11.36)
Apesar de podermos considerar essas propostas como simples, talvez até óbvias em nosso tempo, elas sacudiram toda a base de poder na qual a igreja se auto estabelecera, tiveram profundo impacto sobre a ética e influenciaram o progresso do conhecimento em todo o mundo.
E é sobre esses cinco pilares que se baseia a Reforma Protestante. Muitos cristãos protestantes foram alvo de martírio durante séculos. Porém, a firmeza de suas convicções perpetuou a proclamação da Palavra de Deus.
Em decorrência do profundo compromisso dos homens e mulheres que se dispuseram a proclamar a verdade de Deus no passado, nós, cristãos do século 21, pudemos receber a mensagem do amor gracioso do Pai, que nos salva unicamente pela fé no sacrifício de cristo, conforme revelado em Sua Palavra.
A Ele seja toda honra, toda honra, toda glória e todo louvor!
Celebremos a Reforma Protestante da melhor forma: vivendo seus princípios e dispondo-nos apagar o preço de honrar a Deus em tudo o que fizemos.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

As três prioridades vitais



 Vivemos de decisões. Para uma vida feliz, precisamos de sabedoria nas opções que fazemos. Isto exige de nós uma escala de valores que estabeleça as prioridades em nosso viver. Há um manual – a Bíblia – que nos orienta a estabelecer as prioridades que devem ser adotadas por nós. Entre todas elas, segundo a minha visão, as prioridades vitais são:
1. Deus – Ele deve sempre estar em primeiro lugar na nossa vida. Ele tem a nossa vida em suas mãos. Ele não só nos criou como também nos redimiu dos nossos pecados. Ele deve ser amado de todo o nosso coração, de toda a nossa alma e de todas as nossas forças (Deuteronômio 6: 5). Ele não só conhece o nosso passado e o nosso presente como também todo o nosso futuro. E mais ainda Ele nos ama e tem o melhor para a nossa vida. Ele é onisciente, onipresente e onipotente. Ele não só promete, mas está presente em todos os momentos de nossa vida (Isaias 43: 1 – 5). Nós pertencemos a Ele e somos de fato filhos de Deus (Isaias 43: 1; João 1: 11 – 13). Ele tem os melhores planos para a nossa vida terrena (Jeremias 29: 11 – 13). A qualquer momento, podemos buscá-Lo e encontrá-Lo. Só Ele pode preencher o vazio do nosso coração. Vida feliz e vitoriosa só com Deus em primeiro lugar.
2. A família – A família foi estabelecida por Deus. É onde o ser humano encontra o companheirismo, o verdadeiro amor, o ambiente em que possa interagir com o cônjuge e filhos em todos os momentos da vida, sejam eles bons ou maus. O homem e a mulher se completam. Os filhos são gerados em amor e criados nos verdadeiros ensinos cristãos. Pela família, os propósitos divinos são realizados e transmitidos para as gerações seguintes.
3. A igreja local – Instituída por Jesus Cristo como agência do Reino de Deus para congregar todos aqueles que são salvos por meio da Sua obra redentora na cruz do Calvário. O mundo, por causa do pecado, passou a ser dominado por Satanás. Os salvos estão no mundo, mas não são do mundo. O seu abrigo é a igreja. Nela não só adoram e servem a Deus, mas são fortalecidos para viver de um modo santo e poderem ser o verdadeiro “sal da terra e a luz do mundo”. Os salvos precisam estar integrados numa igreja local se quiserem ser fiéis a Deus.

Temos tido estas três prioridades em nossas vidas?